quarta-feira, 21 de outubro de 2009

terça-feira, 6 de outubro de 2009

carta de separação



É tudo. Menos amor. Deve ser uma nesga de uma migalha qualquer que você dá nome de sentimento. Mas não é. Você não sabe nem o que é isso. E não sabe o que é o amor. O amor não consome o outro. Não engessa o riso. Não finge estabilidade e nem gozo. O amor não destrói. Não estressa. Não expõe os nervos. Não expõe. Não sufoca. O amor não deixa dúvidas. Não existe cobrança ou ameaça quando você ama alguém. Amor não destrói família. Não impõe desejos. Não há imposição. O amor não controla a respiração e muito menos a conta bancária. Não existe monólogo no amor e você não entende. Você fala de amor, você fala excessivamente, mas não sabe nada. Você simplesmente não sabe de nada. Não sabe que o amor não é novela. Não é ditado. Amor não se compra. Você não pode me comprar. Amor não enche só barriga. Alivia a alma. Mas você não sabe. Você perde o seu tempo esbravejando e arquitetando, besteira. Cada amor tem uma história. Você luta de forma insana para ter uma, mas você nunca vai ter, porque, honestamente, você não sabe o que é o amor. Adeus.




***